terça-feira, agosto 23, 2016

Estava a ver que era preciso mais um vermelho...



Não sabendo bem o que vocês acharam, eu estava a ver que era preciso mais um vermelho... No jogo mais valioso de sempre (12M pela passagem+2M pela vitória), sejamos honestos, nas duas mãos jogámos 90 minutos em superioridade numérica; era uma obrigação passar à fase seguinte.

Apesar da enorme alegria, não há que mudar nada na análise já aqui feita ao plantel e à gestão da nossa SAD. É curto e tem lacunas graves para uma equipa que quer chegar, pelo menos, aos oitavos de final da Liga dos Campeões e discutir o título nacional.

É óbvio que precisamos de um central (Filipe convenceu), de extremos e de um ponta-de-lança (acreditando que Depoitre não seja muito mais do que um pinheiro). A exibição do Adrian, sem centrais de marcação, foi em muitos momentos confrangedora. E continuo sem entender porque raio é que o Sérgio Oliveira se julga tão primadonna (não revê os seus jogos no videogravador lá de casa?). Mas pronto, o que interessa é que ficou mais uma vez provado o adágio: "errar é romano". Siga, para a 21!

ADENDA: Quinta-feira temos o sorteio, as 17h. Com a presença no segundo pote, temos já como certo que não nos cruzaremos com o At. Madrid (Espanha), Borussia Dortmund (Alemanha), Arsenal (Inglaterra), Sevilha (Espanha), Nápoles (Itália) e B. Leverkusen (Alemanha), além do Manchester City, cujo apuramento se anuncia como mais de provável, depois da vitória por 5-0 em Bucareste, na primeira mão do play-off. O mesmo acontece em relação ao cruzamento com os outros dois representantes portugueses, já que na fase de grupos, não é possível defrontarem-se equipas dos mesmos países. 

Sem comentários:

Enviar um comentário