quinta-feira, setembro 29, 2016

Errar é do Espírito Santo




Mais de 24 horas em silêncio para perceber porque é que o NES acha que podemos continuar a competir assim, porque ainda sou do tempo em que para se ser jogador do Porto não se podia dar nenhum corredor ao adversário e atacava-se logo a bola, mesmo com risco, em qualquer lugar do terreno do jogo.

Não percebo nada do que se passa com esta gente do meu clube. E slimani, como se vê acima, também nada percebe. Agradecerá os processos de jogo lentíssimos, a rotação improdutiva da equipa, a ausência (ainda por explicar) de Brahimi e a titularidade inacreditável (a não ser por razões de "Fundos") de um tipo que verdadeiramente errou na escolha da profissão, Adrián Lopez.

Não sendo fácil vencer a este Leicester, não era tão difícil discutir o jogo. O que vi na primeira parte foi uma posse de bola de mais de 60% para... os ingleses. Nunca tinha visto isto. Se tenho dúvidas que este Porto tenha estofo nacional, na europa não tem sequer nível para uma Liga Europa. E não ganhando na Dinamarca, vamos lutar pelo terceiro lugar com o Brugges, o que será, no mínimo, humilhante e muito previsível.

Sem comentários:

Enviar um comentário