domingo, outubro 02, 2016

É no Jota que está o Espírito Santo



Com uma pré-época que começou em Maio do ano passado (lembram-se?), o NES apostou em André Silva para liderar o ataque e para lhe fazer companhia exigiu à nossa SAD um pinheiro belga (Depoitre)  e um inimputável espanhol como titular até ao jogo passado (Adrián Lopez). A exigência de extremos na equipa que todos reclamamos e de maior velocidade e expulsão que todos reconhecíamos ser um problema a resolver urgentemente, afinal, veio de mais um miúdo agora descoberto para missões que, se calhar, nem ele esperava. Com 19 anos torna-se na estreia a titular mais promissora de sempre: 3 golos.

Com o hat-trick de Diogo Jota e com o empate do Sporting em Guimarães, não só estamos num lugar da tabela de que tinha já muitas saudades, como podemos ter aqui um ponto de viragem exibicional e motivacional importante da equipa.

Diogo Jota não contou para Simeone, mas Nuno deverá fazer o contrário (mesmo num 4x4x3). É esta explosão e eficácia que se pede a qualquer jogador portista (e este até é bem mouro...). Estou tão contente que até deixo passar esta alarvidade de auto-convencimento saloio do nosso treinador:

Sem comentários:

Enviar um comentário