quarta-feira, outubro 12, 2016

Senhores e senhoras, eis o nosso passivo, 349,2 milhões!



Contas de 2015/16 apresentadas e temos mais um recorde batido. 58,4 milhões batem largamente os 40,7 milhões registados em 2013/14 (espantoso quando se previa um lucro de 1,7 milhões). Pior só mesmo a justificação para este descalabro: "foi tudo para não desfalcar o plantel". (Parem de rir!)

O nosso muito grande amigo Fernando Gomes, agora promovido a Diretor Financeiro, diz que foram rejeitados 95M€ por André Silva, Danilo e Herrera. Ora, uma vez que a 30 de junho André Silva tinha uma cláusula de rescisão de 25M€, Danilo uma cláusula de 40M€ e Herrera 30M€ é provável que tenham andado a oferecer ao Porto valores superiores às clausulas. (Parem de rir!)

Para se perceber melhor o descalabro, olhemos para os custos operacionais. Aumentaram de 110 para 124 milhões de euros. Nesta rubrica, os maiores aumentos foram relativos a "fornecimentos e serviços externos" (mas 5 milhões) e custos com o pessoal, que passaram de 70 para 75,7 milhões de euros.  Este é o valor que o Porto gastou na época passada para pagar salários, prémios e indemnizações. A este propósito, a SAD assume que o "pagamento de indemnizações às equipas técnicas lideradas por Julen Lopetegui e José Peseiro" tiveram peso nas contas. Já sabemos que, juntamente com Helton, os pagamentos foram de 4,4 milhões...(Parem de chorar!)

O número do prejuízo desafia o fair-play financeiro da UEFA. Não podíamos apresentar mais de 8,6 milhões de euros de prejuízo e falhámos por pouco, por cerca de 50 milhões de euros. Agora é proposto mudar o paradigma, começar uma limpeza financeira, claro. (Parem de chorar e apertem os vossos cintos!)

Sem comentários:

Enviar um comentário